Medicina Interna Clínica da Muralha

A Medicina Interna, de vocação essencialmente cognitiva, dedicada a tratamentos “médicos” (não cirúrgicos), é uma especialidade generalista, que se distingue da Medicina Geral e Familiar por ser exclusivamente dedicada a doentes adultos, por ser vocacionada para a complexidade e por ser predominantemente hospitalar. É, a par da Cirurgia Geral (esta essencialmente técnica, dedicada a tratamentos cirúrgicos), uma das grandes especialidades hospitalares.

Ao contrário da maioria das especialidades, que se definem por se dedicarem a um determinado órgão ou sistema (ex: Cardiologia, Endocrinologia) ou a um determinado tipo de doenças (ex: Oncologia), a Medicina Interna define-se como uma especialidade mais de doentes do que de doenças. Ou seja, o internista é um médico que dedica a sua atenção à pessoa como um todo e que se distingue por ser o perito na abordagem clínica exaustiva de cada doente. Daí decorre que seja um médico particularmente apto a lidar com doentes complexos, com múltiplas doenças, com doenças que afetam vários órgãos ou sistemas, assim como com pessoas com doenças raras ou com quadros clínicos difíceis, ainda sem diagnóstico.

Perante um doente com vários problemas clínicos (por exemplo, cardíacos, pulmonares, renais, cerebrais e metabólicos), mais do que o somatório entre cardiologista, pneumologista, nefrologista, neurologista e endocrinologista, o internista é o médico do doente, que compreende todos esses problemas e a sua inter-relação e que está em melhores condições de ver o todo, de definir prioridades e de, em conjunto com o doente, definir o plano de atuação mais adequado e mais eficiente. Os cuidados médicos hospitalares devem organizar-se em torno das necessidades de cada doente, com uma equipa multidisciplinar que inclua todas as especialidades necessárias e que seja coordenada por uma espécie de maestro – o internista.

A Medicina Interna caracteriza-se fundamentalmente por:

  • Uma abordagem global e integradora das características fisiológicas e patológicas dos doentes;
  • Uma atuação articulada com as outras especialidades médicas.

Os médicos especialistas em Medicina Interna têm uma formação abrangente, que lhes dá uma capacidade ímpar para:

  • Intervir em praticamente todos os problemas médicos;
  • Assumir a responsabilidade do acompanhamento dos doentes, numa perspetiva multidisciplinar e polivalente, procurando, sempre que necessário, a colaboração de outras especialidades ou referenciando-lhe os doentes.

Desta forma, a intervenção da Medicina Interna é extensa, estando presente:

  • Na medicina preventiva;
  • Nos cuidados a doentes agudos em situações de emergência;
  • Nos cuidados paliativos em doenças crónicas.

Corpo Clínico

Dra. Joana Cabrera – M-64229
Medicina Interna

Síntese Curricular:

  • 2018: Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
  • 2019: Médica Interna de Formação Específica de Medicina Interna
    Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho
  • 2019: Prestador de Serviços – SU CHTMAD

Marcação de Consulta On-line

Agora já pode marcar a sua consulta através do nosso site!

MARCAÇÃO DE CONSULTA